10 Esplanadas no Porto para aquecer neste tempo frio!

Mantas, aquecedores ou salamandras. Qualquer um serve para combater as temperaturas mais baixas e as esplanadas portuenses não têm problema em trazê-los para a rua.

Num outono que não tarda a transformar-se em inverno, reunimos para ti 10 esplanadas aquecidas onde é possível fazer uma refeição, beber uma sangria ou um café. Sempre quentinho.

1. Champanheria da Baixa bistrô

esplanada1Há aquecedores elétricos, pendurados nos guarda-sóis, na esplanada virada para a Rua Fernandes Tomás, no centro da Baixa do Porto. Os vizinhos da Champanheria da Baixa Bistrô são o Mercado do Bolhão, as mercearias e todo o comércio tradicional.

O Bistrô tem um carrinho de charcutaria que vale a pena explorar e, na carta, destacam-se os croquetes de Joselito, a mousse de fígados com gelatina de vinho do Porto, as saladas, o naco de atum dos Açores, o risotto asiático com tigre grelhado, o lombo com foie gras e Portobello,
a vitela de Champagne em cozedura lenta e o mil-folhas com curd de limão e frutos silvestres. Ao domingo, entre as 13h00 e as 16h00, há brunch, por 20 euros.

esplanada2Rua Sá da Bandeira, 467 (Baixa). Tel.: 223235254. Web: champanheriadabaixabistro.com
Horário: de segunda a quinta-feira, das 12h00 às 01h00; à sexta e ao sábado, até às 02h00;
domingo, até às 00h00. Preço médio: 30 euros

2. LSD
esplanada3Ao fundo da renovada Rua das Flores, fica o LSD – abreviatura de Largo de São Domingos –, que abriu aquando da inauguração da nova vida daquelas artérias. Todas elas, a par do Largo dos Loios, mais acima, tornaram-se pedonais.

O LSD é um restaurante, mas também tem serviço de cafetaria e uma agradável esplanada. No ano passado, os donos tomaram a decisão de instalar três aquecedores a gás nessa extensão ao ar livre.

esplanada5

Largo de São Domingos, 78 (Baixa). Tel.: 910298589. Web: facebook.com/largodesaodomingos
Horário: 10h00 às 02h00. Preço médio: 30 euros

3. Moustache
esplanada4A esplanada é aquecida assim que o dia começa a escurecer, por dois aquecedores pendurados nos toldos. Também há mantinhas. Tudo com vista para a movimentada Carlos Alberto, onde aos sábados há Mercado Porto Belo. É assim no Moustache, uma coffee house com assinatura portuguesa que abriu há quatro anos, antes de se instalar por cá a moda dos espaços que servem bebidas de café para levar. Tem como especialidades o chocolate quente e a sua versão de amora, o cookie latte, o cappuccino de avelã, o mocha de menta, chai latte e o chai de framboesa ou caramelo.

Para acompanhar as bebidas de café – Robusto e 100% Arábica –, feitas exclusivamente por baristas, Clara Cardoso, de 55 anos – que tem como sócio o sobrinho Nuno Cardoso, de 36 –, serve bolos caseiros à fatia assim como cupcakes e natas.

esplanada6

A cafetaria tem livros à disposição dos clientes e wifi grátis. Discreto para selar um negócio e aconchegante para namorar, o Moustache também serve almoço.

Praça Carlos Alberto, 104 (Cedofeita). Tel.: 222082916 Web: moustache.pt. Horário: das 08h00 às 20h00; quinta a sábado até às 02h00; e domingo abre às 14h00. Preços: cafés entre 0,80 e 4,5 euros; fatias de bolo 2,5 euros

4. The Bird
esplanada7
Nesta altura do ano, no The Bird, os gelados caseiros dão lugar aos batidos e às masalas – bebida indiana à base de especiarias –, há trinta chás e infusões para apreciar, a esplanada é esquentada por um aquecedor elétrico e outro a carvão vegetal e há sempre mantas à disposição.

As batidas que se ouvem, mas que não se sobrepõem às conversas, andam pelo jazz e pela bossa-nova. A inspiração para o nome The Bird veio da China, onde, antigamente, «as pessoas iam tomar chá e levavam sempre as gaiolas dos pássaros», conta Sofia Menezes, irmã e braço direito de Miguel Ortigão, que criou ali na Foz um espaço inspirado no que já tinha em Cedofeita, a Rota do Chá. Parece que estamos em casa, numa moradia acolhedora, com muros altos e mesas no jardim.

the-bird-960x640_c

Na Foz, sem tantos turistas a circular como na Baixa, «há pessoas que acham que se trata de uma casa particular», diz Sofia. Na carta, contam-se trinta variedades de chás e infusões. Para acompanhar, há tostas em pão saloio, scones, bolo de chocolate húmido, crumble de maçã, tarte de limão merengada e bolachas, tudo caseiro.

Rua da Agra, 143 (Foz). Tel.: 968092732 Web: facebook.com/theBird.pt. Horário: De segunda a domingo, das 11h00 às 20h00. Preço médio: chá para dois 2,5 euros, menu de almoço 7,5 euros

5. Casa de Pasto da Palmeira

casa-de-pasto-da-palmeira-960x640_cCom sol, a esplanada nem precisava de ser aquecida, mas já o tem sido, com um aquecedor a gás. A carta é fruto de uma espécie de «cozinha participativa», já que os seguidores da página do Facebook da moderna casa de pasto, cuja cozinha está nas mãos de João Pupo Lameiras.

Rua do Passeio Alegre, 450 (Foz). Tel.: 226168244. Horário: das 12h00 às 00h00. Preço médio: 16 euros

6. 17º Restaurante & Bar

17-restaurante-adelino-960x640_cA vista sobre a cidade é o seu atributo mais interessante, o facto de a esplanada ser aquecida é só a cereja em cima do bolo. A carta é internacional, mas privilegia os produtos mediterrânicos. E muda no verão e no inverno.

Os clássicos, esses, ficam sempre: açorda de camarão em sêmea de trigo, bacalhau à João do Porto, arroz de tamboril, camarão e azeite com coentros, caril de gambas, bife à portuguesa e bife do lombo na grelha.

17-restaurante-adelino2-960x640_c

Os Almoços Panorâmicos – menu com couvert, sopa, prato de peixe ou de carne, sobremesa e café, por 14,50 euros – estão disponíveis de segunda-feira a domingo. À noite, a sugestão do 17º é que os clientes passem da sala de refeições ao bar onde há música com DJ até às 02h00.

Hotel Dom Henrique, Rua do Bolhão, 223 (Baixa). Tel.: 223401617. Web: decimosetimo.pt. Horário: 12h30 às 15h00 e das 19h30 às 22h30. Preço médio: 40 euros

7. O Caçula
cacula-2-rui-oliveira-960x640_c
As origens d’O Caçula remontam a 1969, quando surgiu como casa de pasto no quarteirão da Casa Forte, mais no coração da Baixa, e mantendo o princípio da cozinha tradicional portuguesa, começou cedo a apostar numa imagem moderna e na boa apresentação.

Ao mudar-se para a Praça Carlos Alberto, O Caçula juntou à carta pratos de carne, peixe, vegetarianos e «para picar» – as pizas em forno a lenha, «de massa fina e estaladiça». Jorge Ribeiro, o gerente e segunda geração da família que fez a primeira casa, destaca as pizas de bacalhau, salmão fumado e salame. Para além destas, na carta há francesinhas estilo calzone, em massa de piza e feitas no forno a lenha, vários petiscos, saladas e, nos pratos de peixe e carne, destacam-se o o lombo de bacalhau, o peito de frango grelhado com molho Roquefort ou o naco de alcatra.

cacula-rui-oliveira-960x640_c

Os seus quatro pisos impõem-se ali às portas da Praça Carlos Alberto – lá dentro, há cem lugares, cá fora, na esplanada, sentam-se mais quarenta pessoas. É aquecida desde há dois anos , com divisórias corta-vento, mantas e dois aquecedores a gás, que além de gerar calor ainda dão alguma luz àquele final da Rua de Cedofeita.

Praça Carlos Alberto (Cedofeita). Tel.: 222055937 Web: ocacula.com. Horário: das 12h00 às 15h00 e das 18h30 às 23h00; sexta e sábados até às 00h00. Preço médio: 20 euros

8. Casa Vasco
casa-vasco-960x640_cA esplanada não é lá muito soalheira, mas, para compensar, é quentinha. Os três aquecedores elétricos de parede são ligados «quase todo o ano» e lá estarão por estes dias, sempre que for provar os «vinhos e petiscos com alguma inspiração sul-americana» – tal como resume Vasco Mourão a oferta da sua Casa Vasco.

O estabelecimento ocupa o lugar de uma antiga mercearia, tem uma decoração rústica e acolhedora, e a carta com assinatura do chef chileno Camilo Jaña inclui pratos como ovos rancheiros, tataki de salmão com puré de abacate, tosta de gambas, uma sugestão diária de ceviche, espetada de lulas e gambas, bife Tomahawk, picanha maturada Black Angus, cheesecake de chocolate ou tarte de maçã escondida.

casa-vasco-2-960x640_c

A Casa Vasco que tem vinho em nome próprio – a primeira referência é um Loureiro de 2014 que já esgotou, mas que deverá voltar a lançar – sugere seis vinhos a copo, entre 2,5 e 3 euros. E tem, de resto, uma carta com «produtores menos conhecidos» e vinhos com um «perfil menos comercial».

Rua do Padrão, 152 (Foz). Tel.: 226180602 Web: casavasco.pt. Horário: todos os dias, das 12h00 às 02h00. Preço médio: 15 euros ao almoço e 22 euros ao jantar

9.Portarossa
portarossa-960x640_cA rua é sossegada e o Portarossa – a porta vermelha ajuda a identificar o local – é o único restaurante em vários metros. A pizaria fica numa zona interior da Foz, com forno tradicional a lenha, que emana um calorzinho para o exterior, onde a esplanada é aquecida por potentes lâmpadas de parede e uma lareira de jardim.

Dentro – na sala principal ou no jardim de inverno– ou fora, as pizas Diavola, Rustica e de cogumelos selvagens trufados e a francesinha em massa de piza são algumas das estrelas. Há outras opções para além das pizas, exemplos dos escalopes à milanesa, do cartocci de robalo com caponata, do linguini com mexilhões e açafrão ou do fettucini com manteiga de trufas e foie gras. Nas sobremesas, dê-se destaque ao Charlotte Tiramisù e à calzone de Nutella com banana.

portarossa2-960x640_c

No Portarossa, a carta de vinhos é da responsabilidade de Raul Riba d’Ave, mas na pizaria
há vinhos italianos a fazer companhia às referências lusas.

Rua Côrte Real, 289 (Foz). Tel.: 226175286 Web: portarossa.pt. Horário: das 12h30 às 15h30 e das 19h30 às 00h30; até à 1h30 à sexta e ao sábado. Encerra segunda.
Preço médio: 15 euros ao almoço e 25 euros ao jantar.

10. Champanheria da Baixa

Ao cimo de uma rua que já foi praticamente toda de oficinas de marcenaria e lojas de móveis, a esplanada da Champanheria da Baixa é aquecida por aquecedores a gás e está montada em torno de uma bonita e antiga cabina telefónica… que não funciona. Abriu no início de 2012, foi a primeira do género no Porto.
champanheria-baixa-960x640_c
A sangria de espumante com morango (a 5 euros o copo e 18 o jarro) é o que mais sai. A sangria tropical e o Porto sangria (ambas a 7,5 euros o copo e 20,50 o jarro) são outras opções. Para quem não é muito fã de sparkling wines, há duas referências de vinho a copo e vários gins, entre 10 e 18 euros.

Os petiscos mais pedidos na Champanheria 1 são a bruschetta no forno, o mil-folhas de alheira, a alheira à Brás e o chèvre com framboesas e mel.

Rua da Picaria, 107 (Baixa). Tel.: 220962809 Web: champanheriadabaixa.com. Horário: até às 02h00, sexta e sábado, até às 04h00. Preços: sangrias de espumante a 18 e a 20,50 euros o jarro, flûte de espumante e champanhe a partir de 5 euros

Fonte: evasoes

Segue a nossa página de facebook:



Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *