Deco informa quais os supermercados mais baratos por todo o país! Sabes quais são? Se podes poupar aproveita!

Ao todo foram visitadas 476 lojas em Portugal Continental e Ilhas. Estudo é feito com base num cabaz de 92 produtos.

supermercado

O Continente e o Continente Modelo são a cadeia de lojas mais barata em 17 dos 18 distritos nacionais, a que se juntam Madeira e Açores. Em São Miguel partilha a liderança com a Solmar.  No distrito do Porto, o Jumbo da Auchan é o hipermercado mais barato. Só no concelho da Maia permite uma poupança anual de 375 euros, informa a Deco.

A associação de defesa do consumidor atualizou em outubro o índice de preços das cadeias de supermercados. Ao todo foram visitadas 476 lojas em Portugal Continental e Ilhas, tendo sido comparados 45 981 preços, tendo sido encontradas as lojas com os preços mais baixos em cada distrito. O estudo é feito com base num cabaz de 92 produtos, das marcas mais vendidas em Portugal, de nove categorias: mercearia, fruta e legumes, carne, peixe, laticínios, bebidas, congelados, higiene pessoal e limpeza da casa.

 A cadeia da Sonae depois de ter assumido no verão a liderança dos supermercados mais baratos, mantém o primeiro lugar nesta atualização do índice de preços. É o mais em conta em 17 dos 18 distritos. Apenas no do Porto perde a liderança para a Auchan. Mas em Lisboa, fazer compras nas lojas Continente “representa uma poupança de 347 euros anuais face à loja com os preços mais elevados. Em Viseu, permite poupar 351 euros por ano”, refere a Deco.

A nível nacional, o Jumbo, cadeia que liderava o ranking o ano passado, ocupa agora a segunda posição. Já o Pingo Doce, da Jerónimo Martins, ocupa com o Intermarché Super o terceiro lugar do ranking. Minipreço surge em quarto e o Lidl em quinto.

Ao nível de cabaz, a cadeia de Sonae lidera tanto ao nível de frescos, como de mercearia e drogaria.

A cadeia, destaca o Haitong, manteve a sua distância face às restantes cadeias nos frescos “e melhorou a sua vantagem em termos de preço nas marcas mais baratas face ao segundo classificado, o Pingo Doce, de 10% para 13%, e ao Intermarché (de 14% para 15%).

“No caso do Pingo Doce os resultados do estudo parecem mais fracos mesmo que se foque apenas no segmento de proximidade, já que perdeu parte da sua vantagem de preço para o Dia (de 6% para 4%) e Lidl (de 7% para 5%) no cabaz de 92 produtos”, realça o Haitong. Um efeito impulsionado sobretudo pela mercearia e drogaria, mas nos produtos mais baratos a cadeia da Jerónimo Martins também perdeu alguma força.

O Dia melhorou a sua vantagem de preço face ao Pingo Doce, mas perdeu um pouco face ao Lidl no cabaz principal, sobretudo no que refere aos produtos de mercearia. A cadeia espanhola também melhorou no cabaz dos produtos mais baratos, em linha com o Lidl e o Intermarché, tendo a distância face ao Pingo Doce caído de 4 pp para apenas 2%, destaca o banco.

Esta melhoria do Continente só é possível “porque a Sonae tem vindo a alterar a sua estratégia promocional, transferindo o grosso dos descontos oferecidos através de cartão para descontos em dinheiro”, diz o Haitong. Os descontos em cartão, refere o banco com base em guidance da companhia, representam cerca de 9% das vendas do Continente. Ainda assim, o Continente conseguiu desde o ano passado aumentar a distância que o separa do Pingo Doce no cabaz principal de +1% para menos de 15% nesta última atualização da Deco.

Segue a nossa página de facebook:



One comment

  1. É engraçado, mas quando vou ao supermercado uso a aplicação do continente para comparar preços e se comprasse no continente iria gastar muito mais. Sim há produtos mais baratos, mas a maioria não é. Só compensa os produtos que estão em campanha.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *