Concordas com isto ou também te revolta? Só em Portugal mesmo!

Como sabes… Ou ficas a saber, o novo governo descongelou as reformas antecipadas.

Até aí,tudo bem! Aplausos para eles!

Agora, Portugal é afinal um país ou dois? Existem vários tipos de raça de Portugueses?

Vê em baixo os regimes em vigor e reflete muito bem!!

12565340_1075834359134054_3572938749339175495_n (1)

Se isto também te revolta… Partilha!! Expressa pelo menos desta forma!!



Segue a nossa página de facebook:



52 comments

  1. OS DIREITOS SAO IGUAIS PARA TODOS NESTE PAIS HA FILHOS E ENTEADOS? TODOS TRABALHAM TODOS PAGAM SEUS DIREITOS PORQUE HA DUAS BALANÇAS.?E DUAS MEDIDAS E INJUSTO NESTE PAIS AFINAL SO OS SERVIDORES DO ESTADO E QUE SAO GENTE ?

    1. CONTINUAM AS POUCAS VERGONHAS. DO Q. JÁ (MUITO) CONHEÇO,OS TRABALHADORES ,DO SECTOR PRIVADO,A TRABALHAR NO “VULGO, DURO”, ( FORA DE GABINETES ),DESDE SEMPRE,FORAM MAIS SACRIFICADOS,E EXPLORADOS,DO Q. OS DE CATEGORIAS IGUAIS,MAS DO SECTOR PÚBLICO.

    2. A mim revolta, tenho 54 anos desconto à 41 anos, tenho mais tempo do privado que no publico se me reformasse para o ano 2017 com 42 anos de desconto ficava com 185€ por mês, a reforma antecipada é um logro e uma maneira de virar o privado contra o publico, as penalizações são de tal ordem que ninguém se quer reformar, seja no publico ou no privado

    3. Não há duas balanças e duas medidas, era bom era
      Mais 4 anitos e já estava reformada 😝 Lamentável tanta desinformação

  2. É por isso que eu digo há muito que isto só lá vai com metralha. Enquanto as FA se acomodarem nada feito. Eles têm a força e o poder, basta quererem e podem virar tudo.

    1. TEM TODA A RAZÃO. SÓ COM UM NOVO GOLPE MILITAR, MAS NÃO,COM CRAVOS NOS CANOS DAS ARMAS, E COM AS MESMAS,DEVIDAMENTE CARREGADAS. TAMBÉM ESTOU FARTO DE O FRISAR.

    1. A mim revolta, tenho 54 anos, desconto à 41 anos, tenho mais tempo do privado que no publico se me reformasse para o ano 2017 com 42 anos de desconto ficava com 185€ por mês, a reforma antecipada é um logro e uma maneira de virar o privado contra o publico, as penalizações são de tal ordem que ninguém se quer reformar, seja no publico ou no privado

    1. Não fogem nenhum centimo, mas o que pagam não é o suficiente, pois os descontos que fazem não chega, só o uso da ADSE pela familia toda de lá de casa la se vai os descontos que você fez, mais as horas a menos que fazem, as pontes que tem!. O pais não indireita por vossa causa, se tivesses os mesmos direitos que nós, acredita que não estávamos mal!. Uma vez tive que socorrer ao hospital privado, por o meu publico estava sobrelotado, tive que pagar por cada exame 300€, mais a consulta 80€. Estava lá uma mulher com a ADSE, fez 2 exames, teve a soro e mais não sei o quê e pagou um misero valor de 12€ quem é que paga a diferença, não são os vossos descontos!

        1. Acredita rui santos que preferia descontar 90€ do meu salario e ter as regalias que tem com a ADSE, pois eu faço descontos, para ter uma reforma e uma saúde um pouco digna, no qual não tenho direito quase nenhum, tendo que ir recorrer algumas vezes ao privado, sabe quanto é que paguei lá por uma consulta e um exame 450€. Acredite que o que paga nao cobra nem metade do valor que gasta, porque sei que voce desconta 3,5% do seu salario, é um valor vergonhoso e ainda tem mais a agravante de ser mais a familia,… nem existe sequer nenhum seguro de saúde num valor de 90€. Só em seguros que possa fazer para o privado pago no mínimo 150€ e que só abrange consultas que em vez de pagar 75€ ou 80€ pago 30€. Tem sem duvida um “seguro” de luxo.

          1. Olhe lá, a sua família também não benefícia dos descontes que faz para a Segurança Social? Se vão a privado que não tem acordo pagam o mesmo que você.. E quando descontam 14,75% (os 11% que você desconta mais os 3,75% para a ADSE), não fica triste por desconatrem mais que você? Os conjuges dos beneficiários não beneficiam nada, têm que ter o seu próprio sistema. E o seu conjuge se calhar beneficia do seu.
            Só devemos falar do que sabemos…

          2. Mas o funcionário público desconta o mesmo que a senhora mais 3,5 porcento para a a ADSE.
            Ou seja a senhora desconta 11% e o Funcionário Público 11% + 3,5%

      1. Muita ignorância no comentário. Só isso mesmo. Falar e escrever sem o mínimo de conhecimento do que trata é muito mau.

      2. A mim revolta, tenho 54 anos, desconto à 41 anos, tenho mais tempo do privado que no publico se me reformasse para o ano 2017 com 42 anos de desconto ficava com 185€ por mês, a reforma antecipada é um logro e uma maneira de virar o privado contra o publico, as penalizações são de tal ordem que ninguém se quer reformar, seja no publico ou no privado

      3. Pois eu trabalho no sector empresarial do Estado mas não pertenço à função pública. Desconto tanto como os trabalhadores do privado e não tenho ADSE mas sim a porcaria da Segurança Social. Se quiser fazer alguma ponte tenho de marcar dias de férias e se quero!
        Se estiver doente e precisar de médico tenho a benesse de ter médicos contratados pela minha empresa mas também desconto todos os meses para este serviço, quer use quer não use!
        E quando me quiser reformar tenho de descontar os 40 anos e ter mais de 60 anos idade para levar alguma coisa de jeito.
        Por isso, nem todos os trabalham para o Estado são função pública e nem todos se podem reformar aos 55 anos de idade.

    2. Não fogem nenhum cêntimo, mas no entanto vão buscar por outro lado. O que pagam não é suficiente, pois os descontos que fazem nao chega, só o vosso uso na ADSE você e toda a sua familia, lá se vai os descontos que fez. Mais as horas a menos que fazen,, blá blá blá. O pais não indireta por vossa causa, se tivesses os mesmos direitos que nós, acredita que não estaríamos mal.
      Uma vez tive que ir socorrer ao hospital privado, porque o meu hospital publico estava sobrelotado, tive que pagar por consulta 80€ depois os exames, cada um, 300€. Estava lá uma mulher com a ADSE fés exames, esteve de soro e mais não sei o quê e pagou um misero valor de 12€, quem é que paga a diferença, não são os vossos descontos!!

          1. Expliquei me mal, eu estou a lutar nao para que voce perca os seus direitos mas sim para que tenha os mesmos que os meus.

      1. Exatamente! Até conheço um caso em que os óculos de sol foram comparticipados pela ADSE. Onde é que no privado ou que seguro de saude cobre isto? Mas é deixar andar, pois isto vai chegar a um ponto que acaba tudo e para todos. Sem o privado … adeus publico!

    3. Meu caro os privados também não. Aquilo a que conseguem fugir é a vencimentos de muito mais baixo valor que os funcionários publicos para além de trabalharam mais 6 horas por semana!!!. deixem-se de ironias

  3. gostaria de saber a minha mulher tem 64 anos , de idade nunca descontou, com que idade pode solicitar uma reforma? alguém de direito me possa responder, recebe o subsidio de reinserção social 170 euros, queria saber se ela pode pedir a reforma minima
    obrigada

  4. Isso é uma grande mentira e alguém vos anda a enganar, sou professor há mais de 37 anos e tenho 60 de idade, o meu contrato era para 36 anos de serviço e se não fosse isso há muito teria deixado, porque além do ordenado, nem uma lembrança pelos anos recebi. O material para eu trabalhar com os alunos, sou eu a pagar e até muitos que ofereço (isso sou eu que quero). Se quiser comer na cantina escolar, tenho a responsabilidade de zelar pelo bom ambiente e ainda sustento o custo da cantina, pois pago mais pela refeição do que esta vale, não tenho direito a qualquer bebida ou café. Ao longo da minha vida percorri várias escolas do Norte, Centro e Sul, nunca recebi qualquer deslocação. Desiludido, farto e enganado peço a referida aposentação a que já teria direito, porque colegas da escola primária, que não estudaram, porque não quiseram, estão já aposentados (alguns 5 anos mais novos), com o dobro do valor que eu ia receber. O roubo é tal que o valor que receberia de pensão, quase não chega para pagar o meu IRS, ou seja nem 1/3 do ordenado dá. Assim quem pede a reforma? É fácil ao governo prometer 2 empregos por 1 que se reforma, mas quem é o louco que o faz? Por isso antes de comentarem contra os funcionários públicos, informem-se melhor. Ressentimento? só pode, porque noutros tempos, só se entrava para a Função Pública por concurso e obviamente entravam os melhores. Hoje não é assim? Então virem o v. ressentimento para que o seja.

    1. Os colegas da escola primária como você refere também fizeram um curso e tiraram uma licenciatura, não têm descontos de horário desde os 49 anos de idade como você,
      Você fez sempre 22 tempos letivos (de 45m ou no início de 50m) )em vez de 22 horas. Neste momento já deve estar entre as 12 ou as 14 horas de horário letivo enquanto os primários, como lhe chama, trabalharam até à sua idade com 25 e 26 horas enquanto você fazia, talvez as 12h ou 14h ou 16h mas em tempos de 45m e não em horas.
      Sabe Matemática? Então faça as contas e veja em oito anos de serviço a fazer mais 13h, 11h ou 9h, respeticvamente, por semana, veja quanto dá num ano ou em oito.
      Diga lá então se os “primários” não tinham o direito de ir mais cedo para a reforma que você. Seja justo!! Eles estão no mesmo barco e ainda com a agravante de continuaraem a trabalhar neste momento, nas metade do horário mas as 26horas que são no momento. Não pensou nisso quando beneficiava do desconto de horário. E já agora, se nos primários era assim tão bom, porque é que não optou por trabalhar lá. Garanto-lhe uma coisa, ou ficava numa cidade para ter a refeição ou tinha que levar marmita com a comida para ter que comer, tal como você eles não recebem deslocação, para ter direiro a café têm que olevar de casa, com a cafeteira, o açucar e o resto(chávena, colher, etc), quantos aos materiais para trabalhar com os alunos ainda é muito pior. E também percorrem muitas escolas, algumas delas com condições impensáveis, mas estão lá…..

      1. Cristina

        Custa-me a crer que quem é professor apresente este tipo de argumentos, em particular o número de horas que um professor do ensino secundário trabalha.

        É um facto que um professor do 1º ciclo não beneficia da redução que um professor dos 2º e 3º ciclos e do ensino secundário beneficiam, mas está a “esquecer-se” de alguns ” detalhes”.

        Em primeiro lugar, o número de alunos: enquanto os docentes do 1º ciclo têm uma turma , cerca de 30 alunos, desde o início da sua carreira, os outros têm no mínimo (isto é, já em fim de carreira) três, quatro ou até cinco turmas, ou seja entre 90 e 150 alunos. Não estando em fim de carreira, o número de turmas pode ascender às OITO, ou seja, mais de DUZENTOS alunos!!!

        Em segundo lugar, também deve ser considerado tempo de trabalho todo o tempo de preparação das aulas para os DIVERSOS níveis de ensino que um professor do ensino básico e secundário tem que despender em CASA, para além de todo o tempo necessário para a elaboração e correcção dos testes, que também tem de ser feito EM CASA e , por isso, não incluído nas horas do horário que refere. Ou será que isto não é trabalho?

        E, já agora , a propósito do tempo gasto em casa na preparação das aulas e na elaboração e correcção de testes de avaliação, fichas de trabalho, trabalhos, etc, não se compara o tempo que um professor do ensino secundário necessita com o que um professor do 2º e até do 3º ciclo necessita; por isso, por maioria de razão, não é sequer comparável com o tempo de trabalho extra horário de um professor do 1º ciclo.
        No entanto, não é feita qualquer distinção quer a nível de horas de trabalho quer a nível de remuneração (isto já para não falar de algumas disciplinas do ensino básico que não envolvem testes escritos, etc).
        Porque será que um docente do ensino superior tem uma carga horária ainda menor? Porque se reconhece que estes docentes necessitam de investir muito tempo na preparação das suas aulas, cujos conteúdos são cientificamente mais exigentes. E, se assim é, porque não se reconhece essa necessidade relativamente aos docentes do ensino secundário, muitos dos quais têm de preparar os seus alunos para exames nacionais de acesso ao ensino superior?
        Será que a Cristina porventura quer argumentar que o grau de exigência científica do trabalho de um professor do ensino secundário é o mesmo que o de um professor do 1º ciclo? Será que quer convencer alguém que depois do seu trabalho na escola do 1º ciclo ainda gasta mais de vinte horas semanais em casa na preparação de aulas e elaboração/ correcção de testes de avaliação, trabalhos, etc.?

        Em terceiro lugar, mas não menos importante, a faixa etária. Não deve ignorar os desafios que a adolescência oferece quando comparados com os da idade dos meninos do 1º ciclo. O desgaste psicológico é simplesmente incomparável.

        Apenas acrescento que sou professora do ensino secundário, tenho quase 38 anos de serviço, estou na escola 26 horas, com componente lectiva e não lectiva, tenho dois cargos que exigem muito tempo de trabalho extra horário e raramente tenho um fim de semana livre, pois tenho sempre trabalho para fazer que não consigo concluir durante a semana. A título exemplificativo, a correção de uma turma de 28 alunos demora-me cerca de 16 horas e tenho três turmas. Sendo que dou sempre dois testes por período, é só fazer as contas para se concluir quanto tempo extra horário eu necessito para esta tarefa. Depois, falta toda a preparação das actividades lectivas, bem exigente, por sinal.

        Muito mais se poderia dizer, mas fico-me por aqui.

        1. A mim revolta, tenho 54 anos, desconto à 41 anos, tenho mais tempo do privado que no publico se me reformasse para o ano 2017 com 42 anos de desconto ficava com 185€ por mês, a reforma antecipada é um logro e uma maneira de virar o privado contra o publico, as penalizações são de tal ordem que ninguém se quer reformar, seja no publico ou no privado

    2. Oh Maria Vieira, e as reduções de horário de que beneficiou durante tantos anos e que os do 1º ciclo não tiveram? E ter 30 ou 100 alunos tem diferença no horário? E quantos testes pensa que um professor do 1º ciclo aplica por período? E os TPC´s diariamente, quem os corrige?
      Se um seu aluno se portar mal, for indisciplinado ou incorreto pode pô-lo fora da sala de aula. Faz isso a um de 6, 7 ou 10 anos?
      Os professores do 1º ciclo também têm cargos, recebem Enc. de educação e trabalha ao fim de semana e ao contrário de si trabalham mais horas por semana. Gostava de a ver vigiar os intervalos… mas como acha que o 1º ciclo tem muitas regalias, aconselho-a a lecionar lá uns tempos e garanto-lhe que não vai querer repetir.

  5. Cambada de BURROS aqui a dar palpites.
    NÃO HÁ MILAGRES!
    É lógico que quem menos tempo trabalhou e menos tempo descontou e em simultâneo mas cedo se reforma menos aufere de pensão.
    No público ou no privado!!

  6. É uma vergonha neste pais de mer** os do estado estão sempre a mamar os outros a trabalharem mais cinco anos porquê?

  7. Cristina

    Custa-me a crer que quem é professor apresente este tipo de argumentos, em particular o número de horas que um professor do ensino secundário trabalha.

    É um facto que um professor do 1º ciclo não beneficia da redução que um professor dos 2º e 3º ciclos e do ensino secundário beneficiam, mas está a “esquecer-se” de alguns ” detalhes”.

    Em primeiro lugar, o número de alunos: enquanto os docentes do 1º ciclo têm uma turma , cerca de 30 alunos, desde o início da sua carreira, os outros têm no mínimo (isto é, já em fim de carreira) três, quatro ou até cinco turmas, ou seja entre 90 e 150 alunos. Não estando em fim de carreira, o número de turmas pode ascender às OITO, ou seja, mais de DUZENTOS alunos!!!

    Em segundo lugar, também deve ser considerado tempo de trabalho todo o tempo de preparação das aulas para os DIVERSOS níveis de ensino que um professor do ensino básico e secundário tem que despender em CASA, para além de todo o tempo necessário para a elaboração e correcção dos testes, que também tem de ser feito EM CASA e , por isso, não incluído nas horas do horário que refere. Ou será que isto não é trabalho?

    E, já agora , a propósito do tempo gasto em casa na preparação das aulas e na elaboração e correcção de testes de avaliação, fichas de trabalho, trabalhos, etc, não se compara o tempo que um professor do ensino secundário necessita com o que um professor do 2º e até do 3º ciclo necessita; por isso, por maioria de razão, não é sequer comparável com o tempo de trabalho extra horário de um professor do 1º ciclo.
    No entanto, não é feita qualquer distinção quer a nível de horas de trabalho quer a nível de remuneração (isto já para não falar de algumas disciplinas do ensino básico que não envolvem testes escritos, etc).
    Porque será que um docente do ensino superior tem uma carga horária ainda menor? Porque se reconhece que estes docentes necessitam de investir muito tempo na preparação das suas aulas, cujos conteúdos são cientificamente mais exigentes. E, se assim é, porque não se reconhece essa necessidade relativamente aos docentes do ensino secundário, muitos dos quais têm de preparar os seus alunos para exames nacionais de acesso ao ensino superior?
    Será que a Cristina porventura quer argumentar que o grau de exigência científica do trabalho de um professor do ensino secundário é o mesmo que o de um professor do 1º ciclo? Será que quer convencer alguém que depois do seu trabalho na escola do 1º ciclo ainda gasta mais de vinte horas semanais em casa na preparação de aulas e elaboração/ correcção de testes de avaliação, trabalhos, etc.?

    Em terceiro lugar, mas não menos importante, a faixa etária. Não deve ignorar os desafios que a adolescência oferece quando comparados com os da idade dos meninos do 1º ciclo. O desgaste psicológico é simplesmente incomparável.

    Apenas acrescento que sou professora do ensino secundário, tenho quase 38 anos de serviço, estou na escola 26 horas, com componente lectiva e não lectiva, tenho dois cargos que exigem muito tempo de trabalho extra horário e raramente tenho um fim de semana livre, pois tenho sempre trabalho para fazer que não consigo concluir durante a semana. A título exemplificativo, a correcção de uma turma de 28 alunos demora-me cerca de 16 horas e tenho três turmas. Sendo que dou sempre dois testes por período, é só fazer as contas para se concluir quanto tempo extra horário eu necessito para esta tarefa. Depois, falta toda a preparação das actividades lectivas, bem exigente, por sinal.

    Muito mais se poderia dizer, mas fico-me por aqui.

  8. As leis são feitas por pessoas do sector público… Daí que a lei do oportunismo… primeiro eu, depois os outros.

    1. Coisas tao complicadas neste Portugal… Vivi num Pais aonde o sistema de aposentacao vigora para todos ! Tudo simples e sem reclamacoes… Este GRANDE problema ( mais um de alguns…) neste Pais (PORTUGAL) e’ o reconhecimento da EXISTENCIA DE PRIVADOS ! Usa-se o nome de privados para tudo…professores, escolas, medicos, clinicas e, provavelmente, muito mais… Nao pretendo entrar em pormenores (estaria a noite inteira…) mas sucintamente esclarecerei e relativamente a aposentacao, que o sistema aplicavel no Pais aonde vivi – considerado um dos melhores do mundo para viver – e’ verdadeiramente democratico e justo ! Como disse ou dei a entender, quem trabalha, quer seja no funcionalismo ou fora dele, em direito a aposentacao aos 65 anos. Pode solicitar a antecipacao aos 60. NUNCA ANTES daquelas idades. O montante, numa modalidade ou noutra, e’ calculado nos valores descontados ao longo da carreira trabalhadora. Nao e’ considerado anos de servico. Naturalmente que se A trabalhou mais tempo e mais descontou que B o recebimento daquele e’ superior… Para a antecipacao havera um corte, reducao, no quantitativo a receber. Muitas pessoas sao vinculadas a um seguro oficial (governo e camaras) de vida ou doenca ou optam por um particular no caso de nao estarem incluidas naqueles grupos. Em mente, um maior rendimento na aposentacao. Mas, para alem isso, existe para todos os aposentados, independentemente dos valores a receber, um subsidio igual para todos, “OAS” -Seguranca para as pessoas idosas – . ! E’ preocupacao que os idosos tenham uma “velhice” condigna e humana ! Ainda ha mais mas, se com este pouco… Portugal APRENDESSE E COM QUEM SABE a situacao seria inevitavelmente diferente ! Temos que trabalhar, de norte a sul, para que a situacao se modifique. O povo portugues tem uma palavra a dizer. Nao podemos estar sujeitos a directrizes que nos amesquinhem. Vamos ALTERAR O SISTEMA POLITICO ELEITORAL ! Votar em nomes, candidatos, NAO EM PARTIDOS. A vossa consideracao……

  9. A mim revolta, tenho 54 anos desconto à 41 anos, tenho mais tempo do privado que no publico se me reformasse para o ano 2017 com 42 anos de desconto ficava com 185€ por mês, a reforma antecipada é um logro e uma maneira de virar o privado contra o publico, as penalizações são de tal ordem que ninguém se quer reformar, seja no publico ou no privado

  10. A mim não me revolta nada. È que se isto fosse verdade, eu já estaria reformada e assim tenho de continuar ao serviço ainda mais 4 anos. Sabem porquê? Porque como a maioria de nós sabemos fazer contas, temos de pensar bem nas penalizações que teriamos .
    Por isso é uma notícia (que não é nova), que em nada me afecta. Só interessa mesmo a quem gosta de atacar este governo e se dá ao trabalho de especular.

  11. Estão a olhar para uma imagem com um conteúdo fora de contexto.
    Se isso fosse tão linear como o que está na imagem, acham que eu ainda estava a trabalhar com 60 anos de idade e 42 anos de descontos.Para ir trabalhar, desloco-me todos os dias 75 km de manhã e mais 75 à noite, será que é por gosto ou porque a penalização é tão grande que não compensa, é que se reformar agora, independentemente dos 42 anos de serviço, levo para casa menos de metade do vencimento. Será que é justo ao fim de 42 anos de trabalho? então tenho que trabalhar mais 5 anos para não ser tão penalizado.
    Como vêm não é assim tão diferente no público e no privado.

  12. Não falam das penalizações no público? Simulação de reforma no site da CGA para 55 anos de idade, 30 de serviço: 25% do salário actual.

  13. Não falam das penalizações no público? Simulação de reforma no site da CGA para 55 anos de idade, 30 de serviço: recebes 25% do teu salário actual.
    Alguém quer fazer as contas no privado?

  14. O nosso Portugal não chega a lado nenhum……….. TINHA DE MUDAR MUITA COISA

    Na minha opinião só devia existir um código do trabalho (Ex 40 horas semanais para todos, 22 dias de ferias etc etc), um único sistema de saúde,um único sistema de reforma e muito mais.

    Porque é que existe esta distinção entre Privado e Publico?????? Parece que não existe igualdade de direitos.

    Na minha opinião por vezes aborrece ouvir um funcionário publico a se queixar, o professor que tem 2 meses de ferias que esta muito cansado, na segurança social e finanças pedir uma informação e mandarem pro contabilista, entre outras coisas.

    Gostava de ver um Portugal com igualdade de direitos Humanos.

  15. COMO É POSSÍVEL QUE CONTINUEM A ENTULHAR A OPINIÃO PÚBLICA???
    Esta mentira já foi desmentida milhares de vezes…
    Mas, tal como Hitler, ainda há os que pensam que repetindo-a conseguem transformá-la em verdade!

  16. Será que ninguém tem a coragem de dizer a verdade nua e crua a todos os continuam a acreditar em toda a porcaria que lhes atiram para a frente.Informem-se seus ignorantes e analfabetos armados em jornalistas.

  17. Engraçado! Trabalho no público, andei a ler as novas regras e não vi nada disso, estará nas entrelinhas?….será mesmo assim? Vou diretamente para a reforma eheheeh

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *